Agrotóxico: debate sobre mudanças na lei – Prof. Paulo Brack (UFRGS) do InGá afiliado da APEDEMA-RS na ULBRA TV.

Confira importante debate sobre Agrotóxicos com a participação do Prof. Dr. Paulo Brack (UFRGS) do InGá afiliado da APEDEMA-RS, publicado em 15 de maio de 2018, no youtube pela Ulbra TV.

Segundo a Ulbra TV sobre o vídeo:

Uma comissão especial da Câmara de Deputados deve votar esta semana um projeto de lei que alivia o controle do uso de agrotóxicos. Se aprovada, ela pode permitir que mais defensivos sejam adicionados à produção. Estudo da USP aponta o Brasil como um dos maiores consumidores de agrotóxico no mundo, usando 20% do total comercializado no mundo. O assessor técnico da Farsul, Luís Fernando Cavalheiro Pires e o ambientalista e professor da UFRGS Paulo Brack debateram. Conexão RS Exibição: 14.05.2018 http://www.ulbratv.com.br

 

Anúncios

COMPOSTAGEM – Felipe Viana da ONG Econsciência afiliada da APEDEMA-RS

COMPOSTAGEM em foco!

Quarta-feira (16/5) tem bate-papo do vereador Marcelo Sgarbossa (Porto Alegre) com o ambientalista Felipe Viana (ONG Econsciência) sobre compostagem e sobre o projeto que cria o Programa Composta Porto Alegre.

A transmissão AO VIVO começa às 19h30min, na página Cidade mais Humana no Facebook (fb.me/marcelosgarbossa.rs) e no Instagram @marcelo_sgarbossa.

A conversa admite participação com perguntas.

AGAPAN e ASPAN/RS – como essas ONGs se entrelaçam na vida do ambientalista Darci Bergmann – São Borja/RS.

No aniversário de 47 anos da Agapan, 27.04.2018, os homenageados foram Darci Bergmann (Agapan/Aspan) e Ana Valls (Agapan). O Depoimento de Darci Bergmann foi gravado em Porto Alegre no dia 28.04.2018.  Temas abordados: história de vida, arborização urbana, educação ambiental, contaminação ambiental via aviação agrícola, dentre outros sócio ecológicos.

Os fragmentos de textos técnicos e históricos da ASPAN/RS foram retirados dos blogs: http://darcibergmann.blogspot.com.br/

 

https://aspanrs.blogspot.com.br /

 

Confira o documentário sobre a Vida, os pensamentos e a luta de Darci Bergmann – um dos mais respeitados ambientalistas do RS.

Confira também o texto de Francisco Milanez, publicado pelo jornal Correio do Povo​ em 27/04/2018, sobre o importante trabalho histórico realizado pela AGAPAN em seus 47 anos de vida!

artigomilaagapan_540

NÚCLEO ARAÇA-PIRANGA e sua luta pelo Morro Ferrabraz

Na Assembleia dia 24/03/2018, em Porto Alegre, a filiada da APEDEMA-RS, através de seu representante, Luis Fernando Stumf (Núcleo Sócio Ambiental Araçá-piranga) deu relato sobre a sua luta para proteger o Morro Ferrabraz em Sapiranga e os passos importantes dados para preservação da área.  A Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) do Morro Ferrabraz foi validada dentro do Sistema Estadual de Unidades de Conservação (Seuc), o que possibilita ao município ferramentas para garantir a preservação de uma área de 5.761 hectares de Mata Atlântica.

Confira o Webdocumentário produzido pelo Jornal NH.

No vídeo, segundo os autores: “…mostramos como o Morro Ferrabraz virou uma área de preservação ambiental, protegida pelo Estado, e como é possível aliar a forte presença humana com a ecologia e a sustentabilidade.” (Publicado no youtube em 04.05.2018)

Destaque na imprensa!

Detalhe sobre o Morro Ferrabraz
Foto da capa do jornal: Heverton Lacerda (AGAPAN/RS)
Morro Ferrabraz
Fotos do jornal: Heverton Lacerda (AGAPAN/RS)

Grande Ato em Defesa da Fundação Zoobotânica – Inconformidade com a irracionalidade de atos administrativos letais à proteção ambiental.

No dia 19/02/2018 foi o grande evento em defesa da FZB. Em torno de 150 pessoas participaram do ato, sendo que 137 assinaram a lista de presença. Destas pessoas, pelo menos, 25 organizações e coletivos representados: Apedema – RS, ONG GESP (da coordenação estadual); Instituto Mira-Serra; Instituto Ingá; Instituto Curicaca, Agapan; AMA de Guaíba; Greenpeace; Sindicato dos docentes das IES; CPERS; PCO; FEE; Bolsistas de Iniciação Científica FZB; estudantes da UFRGS, UERGS, UFSM e ULBRA; PET Biologia UFRGS, MoGDeMa, Apedema RS, SEMAPI RS, UJC. Da imprensa: Coletivo Catarse, Jornal Já, Sul21 e RBS.


Entre gritos e palavras de ordem, com direito até a composições próprias foi dado o recado:

Estamos atentos, mobilizados e seguiremos lutando em defesa da FZB. Deixamos claro à Secretária de Meio Ambiente que não estamos dispostos a recuar, tampouco aceitar a extinção calados!

No ato, foram colados cartazes nas paredes da SEMA em uma comissão composta por 2 professores, uma servidora da FZB e um estudante conseguiram uma reunião com a chefe de gabinete da sec. Ana Pellini, Lilian Zanker. A reunião iniciada cerca de 11:10 deixou mais perguntas que respostas.

Segundo membros da Comissão:

Às 11:30, a secretária Ana Pellini chegou a reunião entre questões não respondidas afirmou que o processo de extinção está sendo democrático está seguindo os pré-requistos legais. Pellini desconsidera o contexto em que foi votada à extinção, Assembleia Legislativa com as portas fechadas e estudantes e servidores apanhando injustamente da Brigada Militar, desconsidera também o desrespeito judicial ao despacho recente do Juiz Eugênio Terra. Pellini deixou claro na reunião que: o governo não irá recuar” e que a reversão do processo de extinção é somente via judicial. Olhem para frente” as funções da FZB serão executadas por um departamento de pesquisa, ou seja, haverá um nítido rebaixamento de status de fundação para departamento. Pellini e Lilian demonstraram desrespeito à pesquisa, não reconhecendo o que é prestigiado por cientistas do Brasil e do mundo. Ambas desconhecem como funciona o processo de captação de recursos por agências de fomento à pesquisa e, ao menos, tem noção do número de bolsistas da fundação.

Ainda, segundo os manifestantes:

Ficou claro que nem mesmo a secretária sabe como será esta “absorção” das funções da FZB pela SEMA. Na verdade não há como ficar claro, pois uma secretaria não pode “absorver” uma instituição de pesquisa. Finalizando a reunião Pellini propôs que se compusesse uma comissão de estruturação do Departamento de Pesquisas para sugestões; sabemos, entretanto, que as sugestões acadêmicas e das ongs ambientalistas não serão acolhidas, pois em nenhum momento deste processo absurdo fomos realmente ouvidos.

O ato foi de impacto e mais ações deve ser planejadas para que fique claro a inconformidade com um processo irracional como esse de extinção! Clique aqui e leia mais: https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=1738684516220043&id=1442218075866690

Fonte: Publicado por Comunidade RS‎ para “Grande Ato em Defesa da Fundação Zoobotânica” em  19 de fevereiro às 21:20

#SalveFZB

Veja mais fotos e vídeos do evento no endereço: https://www.facebook.com/events/793922550799136/permalink/800633333461391/?notif_t=event_mall_reply&notif_id=1519345131056781

 

Jornal SEGUINTE de Gravataí destaca passeio de barco realizado pela APN-VG com a Associação Pachamama

Captura de Tela 2018-02-18 às 08.10.11

Em produção própria, o jornal Seguinte, de Gravataí, divulgou em seu saite o vídeo relatando como foi a viagem pelo rio Gravataí realizada pela APN-VG, em seu barco, e pela Associação Pachamama, em 9 de fevereiro último. Sérgio Cardoso, presidente da APN-VG e do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Gravataí, conduziu a viagem e relatou aos presentes a atuação da entidade em proteção ao rio nos últimos 39 anos.

A professora de Direito Constitucional da Universidade Federal do Ceará, Germana de Oliveira Moraes, que é co-criadora do Movimento Nación Pachamama, onde é conhecida por Violeta Molina, conversou com os viajantes sobre sua atuação em defesa do rio Doce,  em Minas Gerais, e sobre o rio Gravataí, que apresenta alta carga de poluição no seu curso final, antes de desaguar no Lago Guaíba, região  de alta concentração de habitações.

Com o rio muito baixo, a excursão aquática não pode seguir até o final planejado.  Melusina Iriarte, integrante da Unidade Campesina Espiritual Aoniken, integrante do Movimento Pachamama, situada na comunidade Mato Fino, também em Gravataí, participou e o vídeo apresenta o grupo – para  comunicação com os participantes da Comunidade, entrar no Facebook –  ou pelo telefone (51) 99303-1083. Esperanza, Diego Iriarte, Tânia Mendizabal, também participantes da viagem, explicam o que é a “consciência pachamama”.

O psicólogo e coordenador de Saúde Mental da Prefeitura de Gravataí, Gerson Jung, também participou e destacou que a percepção mais ampliada do que sustenta a vida, a natureza, as relações humanas, sustenta melhor uma sociedade no universo, uma vida com felicidade.

  •  Para navegar no rio Gravataí, entre em contato: www.facebook.com/riolimpo ou pelo celular 51 999144433.
  • O vídeo produzido pelo jornal Seguinte tem 17min11s. Veja a íntegra!  A reportagem foi de Rafael Martinelli e a gravação e a edição de Guilherme Klamt.

 

Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de POA confirma REUNIÃO sobre Decreto que prejudica a defesa do Meio Ambiente em relação aos agrotóxicos.

O Movimento Gaúcho em Defesa do Meio Ambiente, articulado com a APEDEMA-RS e com diversas outras instituições e pessoas preocupadas com o meio ambiente sadio e sustentável, requereu reunião urgente com a Promotora Sra. Dra. Anelise Monteiro Steigleder, da 3ª Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Porto Alegre-RS, para tratar sobre o Decreto Estadual nº 53.888, publicado no Diário Oficial do Estado ontem (17/01/18), que, de forma suspeita, regulamenta a lei Lei nº 7.747, de 22 de dezembro de 1982. Segundo Júlio Alt, do MOGDeMA, essa alteração acaba “ trazendo nova interpretação diferente da intenção do legislador a época, de forma permissiva e sem atenção aos estudos estaduais, nacionais e internacionais a respeito dos malefícios dos agrotóxicos na saúde dos seres humanos e natureza.” A carta aberta da APEDEMA-RS e o Decreto foram documentos anexados ao ofício. 

A data designada pela Dra. Annelise foi o dia 01 de fevereiro de 2018, às 14 horas.

Considerando a redação alterada a Comissão Estadual que analisa o cadastro de agrotóxicos ficará sem base legal para indeferir o agrotóxico que não tem registro no país em que o mesmo foi sintetizado, mas que não é proibido nos países em que é produzido. (Carta de  (17/1/2018), elaborada pelas entidades que compõem a Assembleia Permanente de Entidades em Defesa do Meio Ambiente ao Presidente da Assembleia Legislativa, Deputado Edgar Pretto.)