Câmara de Porto Alegre aprova ampliação das torres de celulares

Com a oposição de diversas entidades associadas da APEDeMA/RS, e outras, como a AGAPAN, Fundação Gaia, Núcleo dos Ecojornalistas(NEJ/RS),  Associação dos Ciclistas de Porto Alegre, Associação Comunitária do Centro Histórico, Laboratório de Políticas Públicas e Sociais (LAPPUS), Associação de Preservação da Natureza Vale do Gravataí (APN VG), e União Pela Viva, além da própria Federação das entidades ambientalistas gaúchas, os Vereadores de Porto Alegre aprovaram a liberação praticamente total das antenas de celulares no Município. 

A AGAPAN, em seu site, afirmava, antes da conclusão da votação ocorrida na noite desta quarata-feira (16/7), que o então Projeto de Lei incluia “imensas distorções, equívocos e incoerências”.  Disse ainda que: “Não há nada de inovador nele. Fica claro que rasga liminarmente o Principio da Precaução, nos artigos e parágrafos já discutidos e analisados anteriormente. Vai então em sentido contrário a evolução na redução dos riscos a saúde e ao ambiente”, comenta o professor Alvaro Salles, do Departamento de Engenharia Elétrica da UFRGS.

“A atual Lei 8896 de 2002  já  inclui as questões positivas, por exemplo, incentivo ao compartilhamento, mimetismo, utilização da estrutura urbana de postes de iluminação pública, distribuição de energia, topos de prédios, etc.Se esse projeto for aprovado, será um “desastre” para a cidade, manchando a imagem dos serviços da Câmara Municipal. Porto Alegre não merece isto”, avalia Salles, na nota da AGAPAN. 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s